Uma das piores coisas que pode ocorrer num jardim é que se encha de ervas daninhas. Estas plantas infestantes não só são feias — também podem prejudicar (e muito) as espécies já plantadas.

Eliminar-las é, muitas vezes, uma grande prioridade.

Por isso, neste novo artigo de jardinagem vamos explicar como acabar com as ervas daninhas. Não existe uma técnica totalmente efetiva, mas existem diferentes métodos que podem ser muito positivos.

Um método viável para a prevenção é uma boa defesa. No entanto, é quase inevitável que, de alguma forma, se desenvolvam. Por isso, depois de germinadas, deve-se optar pela eliminação. Existem muitos métodos viáveis e todos eles serão abordados neste artigo.

Se tem um jardim infestado de matagal ou simplesmente pretende saber como eliminar as ervas daninhas, este post é ideal para si.

Comecemos!

O que são as ervas daninhas e como afetam um jardim?

As ervas daninhas são qualquer espécie que cresce de forma silvestre, ou seja, sem a ajuda do homem, num jardim ou espaço verde cultivado ou controlado pelo ser humano.

Sob estas condições, quase qualquer planta se pode converter numa erva daninha.

Como talvez já saiba, a erva daninha é considerada, em sentido geral, um incómodo, algo indesejável e o inimigo número 1 de qualquer jardineiro ou agricultor. Eliminar-las não é uma tarefa simples, pois, a maioria volta a crescer sem importar o que quer que faça para o evitar.

Os efeitos das ervas daninhas não estão relacionados unicamente com a aparência do relvado ou com as discrepâncias no terreno.

Vai muito mais além disso.

Quando um cultivo ou plantação estão infestados destas ervas, as plantas semeadas competem com elas pelos nutrientes e a água que, além disso, estas espécies silvestres albergam e hospedam diferentes tipos de pragas.

Como vê, não são meras espetadoras.

As espécies mais comuns reconvertidas em ervas daninhas

ervas daninhas - urtigas

ervas daninhas – urtigas


Tal como mencionado, uma erva daninha pode ser qualquer espécie que se desenvolva de forma silvestre num cultivo controlado pelo homem. Por isso, existem numerosas variedades vegetais que chegam a considerar-se matagal.

Entre as mais comuns, encontram-se:

  • Avena fatua: planta fanerogâmica que habita nos terrenos de cultivo e nos solos baldios. Apresenta uma raiz ramificada, caules herbáceos, eretos e folhas de até 20 centímetros de comprimento.
  • Cirsium arvense: o cardo rasteiro, ou cardo das vinhas é uma erva reconhecida em muitos hortos. É perene, tem uma raiz central profunda de enraizamento forte e apresenta umas brácteas de cor violeta-escuro. Desenvolve-se nos campos lavrados, pastos, em terras baldias e nos clareiras dos bosques.
  • Sorghum halepense: conhecida popularmente como sorgo bravo, trata-se de uma planta glabra capaz de se desenvolver nos cultivos de Verão de regadio. O seu caule é ereto, em forma de cana e com uma altura que pode chegar aos 2 metros.
  • Verbena officinalis: erva perene originária da Europa. Cresce de forma silvestre nas pradarias, cultivos de primavera, nos vinhedos e nas hortas. Esta espécie, popularmente chamada Gerbão, Gervão ou mesmo Aljabão ou Argebão é de porte erguido. As suas folhas são opostas, lobuladas e estão divididas em vários segmentos.

Como se eliminam as ervas daninhas?

As ervas daninhas são um problema que se deve erradicar de raiz, literalmente.

Para muitos jardineiros e agricultores, estas espécies “invasoras” chegam a ser uma dor de cabeça relevante e em muitas ocasiões, perdas económicas importantes. Por isso, a sua eliminação passa a ser uma prioridade.

No entanto, não existem métodos que as consigam erradicar para sempre.

A erva daninha, faça o que fizer e deite o que deite, acaba sempre por crescer de novo. Mas, ainda assim, é algo que se deve continuar a tentar.

A prevenção

O primeiro passo para a erradicação é a prevenção.

Não existe melhor defesa face às ervas daninhas que as prevenir. A técnica ideal para evitar o desenvolvimento destas espécies é a de manter em perfeitas condições o relvado do jardim. Com o fornecimento de nutrientes, com as regas e com um corte regular, poderá impedir (em muitos casos) a degradação vegetal do solo.

Um prado denso e são não deixa espaço para a germinação de matagal.

Eliminar as ervas daninhas

Não há dúvidas: as ervas daninhas são prejudiciais para os nossos cultivos e para o nosso jardim. Eliminar-las é uma tarefa que as nossas plantas muito agradecem.

Existem diversos métodos para erradicar as ervas daninhas. Todos eles são altamente efetivos e muitos, nem sequer afetarão de maneira negativa as restantes plantas.

Arranque manual

Uma das técnicas mais usadas para eliminar qualquer tipo de erva, é o arranque manual.

Apesar de resultar com certas espécies, é um trabalho aborrecido, delicado, lento e se não é bem feito, pode causar danos pessoais.

Este método deve estar reservado às ervas daninhas que devem ser arrancadas de forma individual, como, por exemplo, as que se desenvolvem pegadas ao caule de alguma árvore ou arbusto do jardim.

Se optou por levar a cabo esta técnica, recomendamos que use luvas protetoras. Arranque o matagal desde a raiz (o caule só não serve) e se for necessário, use uma lâmina ou um elemento com ponta.

arranque manual de ervas daninhas

arranque manual de ervas daninhas

Uso de herbicidas

É a prática mais comum e ao mesmo tempo a que pode causar danos nas restantes plantas do jardim.

Os herbicidas devem ser usados com cautela.

Estas substâncias podem fazer poupar muito tempo e esforço e, se se utilizam adequadamente, podem mesmo não afetar de forma negativa nem o relvado nem as plantas cultivadas. Tudo dependerá de como os empregue.

No mercado podem-se encontrar diversos tipos de herbicidas químicos e é necessário saber como atua cada um deles antes de o aplicar.

  • De contacto: matam a folha que tocam. Não são residuais, não se estendem ao sistema radicular e não perduram no solo.
  • Sistémicos: são os que se aplicam sobre a planta. Esta absorve o herbicida e distribui-o por todas as suas partes. Trabalham com muita lentidão, no entanto, são capazes de matar a planta inteira.
  • Residuais: deitam-se diretamente no solo para impedir a germinação das sementes. Ao contrário dos herbicidas de contacto, permanecem ativos durante muitos meses.
fumigação

fumigação

Mulching

O mulching ou monda é uma técnica pouco praticada, mas que é muito boa para o jardim em diversos aspetos.

mulching

mulching

O que é o mulching

É uma camada de matéria orgânica estendida sobre o solo de divisórias e outros sítios onde a terra esteja exposta. Proporciona às plantas melhores condições de crescimento e, o que tema que abordamos hoje, suprime a aparição das ervas daninhas.

O mulching deve ser aplicado uma vez que se tenha arrancado o matagal e se tenha levado a cabo a escarificação do solo.

Os materiais orgânicos mais habituais são a turfa, o composto e os restos de relva cortada.

Outros métodos

Na atualidade, o engenho das pessoas conseguiu encontrar alternativas caseiras aos métodos mencionados anteriormente.

farinha

farinha – um método pouco conhecido de combater as ervas daninhas


Estas práticas não são tóxicas e destacam-se as seguintes:

  • Água a ferver: sim, a água muito quente funciona como um herbicida. Deve regar as ervas daninhas com bastante cuidado, pois se a aplica numa planta que não queira eliminar, esta acabará por morrer.
  • Sal: atua como um herbicida total na zona em que se coloque. É a solução perfeita para as zonas em que não se quer que cresça nenhum tipo de espécie silvestre.
  • Vinagre: é capaz de matar as folhas da planta, No entanto, não afeta as raízes. Este método é muito recomendável nas espécies jovens, pois não têm energia suficiente armazenada nas raízes para poder resistir e voltar a desenvolver as suas folhas.
  • Farinha: a farinha de milho, surpreendentemente, é um herbicida natural bem potente. Após espalhar esta substância, o controlo da germinação das sementes das ervas daninhas está assegurado.

Como pode verificar, as ervas daninhas são um problema a ter em conta. Eliminar-las é bastante importante. A seguir, temos um tutorial em vídeo em que a nossa embaixadora Monique Briones explica que são estas espécies e analisa alguns métodos e tratamentos.

Esperamos que este artigo lhe seja útil para erradicar as ervas daninhas. Com um pouco de dedicação e aplicando as técnicas adequadas, verá que o seu esforço será recompensado, e o mais importante, vai passar a ter um jardim livre de ervas daninhas.
 

Sumário
Como eliminar as ervas daninhas do jardim?
Nome do Artigo
Como eliminar as ervas daninhas do jardim?
Descrição
Neste artigo de jardinagem explicamos o que são as ervas daninhas e quais são os métodos para as eliminar. Estas espécies crescem de forma silvestre e podem ser prejudiciais para os cultivos.
Autor
Nome do Editor
TudoHusqvarna
Logo do Editor